Beata Maria Araújo

Maria Magdalena do Espírito Santo de Araújo

Nasceu em 23 de maio de 1863, em Juazeiro do Norte, Ce.
Filha de Antônio da Silva Araújo e Ana Josefa do Sacramento.
Mulata, baixa e franzina, apesar de analfabeta tinha boa educação e aprendia com facilidade.
Oriunda de família pobre teve infância difícil, comum no nordeste.
Começou a trabalhar, ainda criança, em uma olaria fabricando tijolos e telhas.
Perdeu os pais muito cedo, e foi acolhida para morar na casa do Padre Cícero.
Dotada de habilidade manual, abandonou o trabalho na olaria e passou a dedicar-se ao artesanato fabricando bonecas de pano, que a todos encantavam.
A pedido do Padre Cícero passou a ensinar o artesanato a outras meninas da paróquia.

Muito católica, frequentava a igreja diariamente.
Após um retiro espiritual ministrado pelo Padre Cícero e pelo Padre Vicente Alencar, passou a usar as veste de beata, a partir de 1885 quando tinha 22 anos de idade.
Foi sempre tratada com especial atenção pelo Padre Cícero, a quem retribuiu com uma dedicação e gratidão incomuns.
Quando o padre Cícero morreu, foi a beata que providenciou todos os tramites do sepultamento, mando fazer uma sepultura na Capela do Socorro, onde até hoje reepousam os restos mortais do Padre Cícero, em Juazeiro do Norte, Ce.

O chamado milagre da hóstia, foi quem projetou a Beata para a história.
Em 1° de Março de 1889, durante a comunhão, ao receber a Hóstia Consagrada das mãos do Padre Cícero, a mesma transformou-se em sangue vivo.
Imediatamente o Padre mandou chamar vários médicos para examinarem o fato.
Este fenomeno inesplicável, se repetiu por diversas vezes no período de dois anos.
Em algumas vezes, a hóstia assumia a forma de um coração.
No corpo da beata apareciam feridas, sem causa aparente e, que desapareciam sem que fosse aplicado nenhum tipo de medicamento.
Exames médicos apuraram que Maria Araújo sofria de incômodos estomacais, tendo chegado a vomitar sangue uma vez.
Um dos médicos encarregados de examina-la, atestou em documento, lavrado em cartório, não ter encontrado sinais de úlcera ou qualquer outro tipo de ferimento em sua boca, lábios ou língua.
Alguns médicos levantaram a hipótese de que ela era hemofílica e que sofria de epilepsia.
Não existem documentos que atestem estes pareceres.

Como é padrão em casos de anúncios de milagres, a Igreja Católica instituiu uma Comissão de Inquérito Canônico, tendo como investigador o Bispo Dom Joaquim Vieira, juntamente com os Padres Francisco Ferreira Antero e Glicério da Costa.
Esta comissão concluiu que tudo não passou de supertição e ofensa gravíssima à Santíssima Eucaristia.
Para o Padre Cícero, outros clérigos, e para o historiador e professor José Marrocos, o acontecido era uma manifestação divina e portando era um milagre.
O historiador e Padre Antônio Gomes Araújo, declarou que o suposto milagre não passava de uma farsa, que utilizava produtos químicos, e que  o embuste fora comandado pelo Professor José Marrocos com a cumplicidade da Beata Maria Araújo.
Recentemente estudos feitos por parapsicólogos concluem que tudo não passou de uma combinação da imaginação emotiva do psiquismo da beata, influindo sobre seu organismo.
Durante o inquérito oficial da igreja, o Médico Júlio César da Fonsêca, defendeu a beata declarando que era um caso de histerismo, entendendo assim, que não era simulação nem impostura.

A Igreja Católica aproveitou a polêmica, para punir o Padre Cícero, suspendendo-lhe os direitos sacerdotais, punição que permaneceu até sua morte.
Para alguns historiadores esta punição tinha mais a ver com a militância política do Padre Cícero do que com o chamado milagre do Juazeiro.

A Beata Maria Araújo, faleceu* em Juazeiro do Norte, Ce, no dia 17 de janeiro de 1914.

*Por ordem do Bispo da Diocese do Crato, o túmulo da beata, na Capela do Socorro, foi aberto ilegalmente em 22 de outubro de 1930.
O túmulo foi destruído e os restos mortais da beata Maria Araújo sepultados em local até hoje ignorado.
Credita-se este ato, às questões que envolviam o Padre Cícero com a Igreja Católica.

Aracati

COSTA DO SOL NASCENTE

ARACATI
Distância aproximada de Fortaleza: 152 km
População: 56.978 habitantes
Acesso através da CE-040 | BR-116 | BR-304
Ônibus intermunicipais a partir de Fortaleza
ligue 186 ou (85) 3256.2100
Praias da região:
Majorlândia, Canoa Quebrada, Cumbe,
Quixaba, Lagoa do Mato e Retiro.

Tombada pelo Patrimônio Histórico está situada na margem direita do Rio Jaguaribe e próximo a sua foz. Casarios coloniais revestidos com azulejos portugueses e Igrejas Barrocas formam um belo conjunto arquitetônico. Merecem destaques a Casa de Câmara e Cadeia,
a Igreja de N.S. do Rosário e o Instituto Museu Jaguaribano.

O carnaval descontraído de Aracati atrai milhares de turistas do Brasil e do Exterior. Em seu litoral está a internacionalmente conhecida Praia de Canoa Quebrada.

HOSPEDAGEM NA REGIÃO

Brisa Rio Hotel
Cidade de Aracati
Fone: (88) 3421-1881 | 3421-3180

Pousada Litorânea
Cidade de Aracati
Fone: (88) 3421-1001

Pousada Nosso Sonho
Cidade de Aracati
Fone: (88) 3421-1234

Pousada Bons Ventos
Cidade de Aracati
Fone: (88) 3421-4510

Falésia Praia Hotel
Canoa Quebrada
Fone: (88) 3421-7043

Pousada Fortaleza
Canoa Quebrada
Fone: (88) 3421-7019

Pousada Tropicália
Canoa Quebrada
Fone: (88) 3421-7017

ALIMENTAÇÃO

Restaurante O Iran
Cidade de Aracati
Fone: (88) 3421-1208

Ponto do Churrasco
Cidade de Aracati
Fone: (88) 3421-4116

Restaurante Nova Esperança
Cidade de Aracati
Fone: (88) 3421-4394

EMERGÊNCIA HOSPITALAR

Hospital Santa Luiza de Marillac
Fone: (88) 3421-1007 / 3421-1684

Hospital Municipal de Aracati
Fone: (88) 3421-3005


Pesquisa e Textos: Claudia Queirós

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACATÍ
Santos Dumont, 1146
Fone: (88)  3421-1006 / 3421-1143

Secretaria do Turismo e Meio Ambiente de Aracatí
Fone: (88)  3421-1006

SETUR – Órgão Oficial de Turismo do Governo do Estado
Secretaria Estadual de Turismo-SETUR
setur-ce@turismo.setur-ce.gov.br
Fone:  (85)  3488-3900 – Fax:  (85)  3488-3853
Centro Administrativo Virgílio Távora
Edifício SEPLAN – Térreo – Cep 60.839-900
Fortaleza – Ceará – Brasil

Catedral Metropolitana

Catedral Metropolitana

Avenida Alberto Nepomuceno – Praça da Sé – Centro
Fone: (85) 3231-4196
Horários: Segunda a Sexta das 08:00 às 17:00 horas
Sábados aberta até ao meio dia.
Domingos das 09:00 às 13:00 horas e das 17:00 às 21:00 horas.
Missas na Catedral: terça a sexta-feira às 12:00 horas.
Aos sábados às 12:15 e 18:00 horas.
Aos domingos as 11:30, 18:30, 19:00 e 20:00 horas.
Missas na Cripta: de terça a sexta-feira às 17:30 horas.

Por volta de 1700 foi erguida uma capela de taipa (tipo de edificação que utiliza somente madeira e barro) nas proximidades do local da atual Catedral.
Este local foi originalmente chamado de Praça do Conselho e só muito depois de Praça da Catedral.
Outras três igrejas foram construídas no local, cada uma em substituição a outra.
A última dessas construções permaneceu como Catedral até ser demolida em 1938 por oferecer risco de desabamento. A última missa celebrada nesta igreja foi oficiada pelo Padre Quinderé.

A atual catedral projeto de autoria do arquiteto francês Jorge Maunier, foi inaugurada em Dezembro de 1978.
Dom Aloísio Lorschaider, então Arcebispo Metropolitano de Fortaleza, celebrou a missa inaugural.
Do lançamento da pedra fundamental até a data da inauguração passaram-se 50 anos de alterações de projetos e mudanças de construtores.

Em estilo gótico a Catedral Metropolitana de Fortaleza tem capacidade de receber cerca de 4.500 fiéis. Uma moderna iluminação revela toda a beleza do templo.
A missa dominical noturna é um emocionante momento de religiosidade.

Nas imediações visite a Fortaleza de N.S. da Assunção, o Mercado Central com diversas lojas de venda de artesanato e o Palácio Arquiepiscopal, atual Paço Municipal.


Mais detalhes podem ser encontrados no livro Caminhando Por Fortaleza de autoria do escritor cearense Francisco Benedito de Sousa.
O Livro pode ser adquirido na Livraria do Centro Cultural Dragão do Mar, nas Bancas de Revistas na Praça do Ferreira ou diretamente do autor através do telefone: (85) 3493-2518.

Para saber mais sobre as datas veja
Para saber mais sobre os locais veja
Para saber mais sobre pessoas veja

SETUR – Órgão Oficial de Turismo do Governo do Estado
setur-ce@turismo.setur-ce.gov.br

Fone: (85) 3488-3900 – Fax: (85) 3488-3853
Centro Administrativo Virgílio Távora Edifício SEPLAN – Térreo
Cep 60839-900 Fortaleza – Ceará – Brasil

Disque Turismo: 0800 99 15 16

FUNCET – Órgão Oficial de Turismo de Fortaleza
smdt@ivia.com.br

Fone: (85) 3231-1814 Fax: (85) 3252-4595
Rua Pereira Filgueiras 04 – Cep 60160-150 Fortaleza – Ceará – Brasil

Museus

Museu do Ceará

O Museu do Ceará está instalado no Palácio Senador Alencar, local onde funcionou a Antiga Assembléia Provincial
É um dos Edifícios Históricos de Fortaleza.
É um museu com grande acervo histórico e antropológico.
No acervo inclusive a tela “Fortaleza Liberta” de José Irineu de Souza, uma das mais importantes obras da pintura cearense do século XIX.

Rua São Paulo, 51 – Centro – Fone: (85) 3101-2606 / (85) 3101-2610
Cep: 60030-100 – Fortaleza

Funcionamento:
Terça a Sexta: 08:30 às 17:00
Sábados: 08:00 às 14:00 h
Domingos: 14:00 às 17:00 h
Entrada gratuita às terças-feiras


Mini Museu Firmesa
Um acervo com um significativo panorama da arte cearense.

Via Férrea, 259 – Mondubim
Fone: (85) 3298-1537
Cep: 60765-760
Fortaleza – Ce.

Funcionamento
Segunda a Sexta: 09:00 às 11:00 h e das 15:00 às 17:00 h


Museu Arthur Ramos (Anexo à Casa de José de Alencar)
Acervo de rendas, objetos ligados ao período dos escravos e a cultura negra.  Possui uma coleção de pinturas do artista Floriano Teixeira tendo por tema as personagens das obras do escritor José de Alencar.

Av. Washington Soares s/n – Messejana – Fone: (085) 3229-1898
Cep: 60840-000
Fortaleza – Ce.

Funcionamento:
Segunda a Sexta: 08:00 às 12:00 h e das 14:00 às 17:30 h


Museu do Parto

Um tributo ao Prof. Galba Araújo
Foi inaugurado em 18 de outubro de 2002, nas dependências da Maternidade Escola Assis Chateaubriand, hospital da Universidade Federal do Ceará.
Estudos históricos e antropológicos têm revelado que, há menos de três séculos, a maioria das mulheres de todas as raças e culturas, durante o trabalho de parto, adotava uma postura vertical, mantendo o tronco ereto nos períodos de dilatação, e expulsão do feto e da placenta.

Hall da Maternidade Assis Chateaubriant
Rua Coronel Nunes de Melo, s/n – Rodolfo Teófilo
Campus do Porangabuçu

Funcionamento:
Segunda a Quinta: das 16:00 às 18:00 h.


Museu da Cachaça

Localizado no Município de Maranguape, na Grande Fortaleza, este museu proporciona um passeio histórico sobre a história da Cachaça, a mais Brasileira das bebidas.
A Família Teles, estabelecida na região desde 1846, dirige o Grupo Ypioca que além de ser uma dos maiores fabricantes da cachaça do Brasil, atua também nas áreas de agropecuária, papel, papelão, embalagens plásticas e águas minerais.
O Grupo Ypioca gera 1900 empregos diretos e 10.000 empregos indiretos.
Todo o ciclo histórico da cana-de-açucar é contado através de fotos, documentos, máquinas, equipamentos e cenários com personagens móveis em tamanho natural (diorama).
Destaque para o maior tonel de madeira do mundo com capacidade para 370.000 litros.
No local, um autentico botequim (bar popular típico do Ceará) oferece diversos tipos de degustações da bebida.
O visitante também pode percorrer um trecho através de um dos canaviais da região.

Rodovia Ce-065 – Fortaleza Maranguape
Entrada no 4Km após o Posto da Polícia Rodoviária.

Funcionamento:
Terça a Domingo: das 08:00 às 17:00 h
Fones: (85) 3341-0407 – (85) 9111-8758


Museu da Imagem e do Som – MIS
Acervo para consultas através de fitas cassete, filmes, slides e CD-ROMs.
Biblioteca com acervo sobre cinema.

Av. Barão de Studart, 410 – Aldeota – Fone: (85) 3264-2462
Cep: 60120-000
Fortaleza

Funcionamento:
Segunda a Sexta: 09:00 às 12:00 h e das 14:00 às 18:00 h


Museu das Secas
Rua Pedro Pereira s/n – Centro – Fone: (85) 3281-6444
Cep: 60035-000
Fortaleza

Funcionamento:
Seg à Sex:13:30 às 17:00 h.


Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará
O melhor acervo de artistas cearenses.
Obras de Antônio Bandeira, Aldemir Martins, Raimundo Cela, Chico da Silva, Vicente Leite.
Possui obras de Picasso, além de importante coleção de gravuras.
No acervo do Museu, encontra-se a maior coleção do mundo de Xilogravuras de Capas de Literatura de Cordel.

Av. da Universidade, 2854 – Benfica – Fone: (85) 3281-3144
Cep: 60020-181
Fortaleza

Funcionamento:
Terça a Sexta: 08:00 às 12:00 h
Sábados: 13:00 às 17:00 h


Museu de Arte e Cultura Populares
(Anexo a Empresa Cearense de Turismo)

Um verdadeiro panorama da arte popular cearense pode ser visto no Museu de Arte e Cultura Populares, com destaque para as esculturas do Artista Popular Nino e para os bonecos de mamulengo de Pedro Boca Rica.

Rua Senador Pompeu, 350
Anexo ao Centro de Turismo – Centro
Cep: 60025-000
Fortaleza – Ce.

Funcionamento:
Segunda a Sexta: 08:00 às 17:30 h
Sábados: 08:00 às 14:00 h


Museu de Artes da Contemporânea do Ceará

Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
Exposições regulares com o melhor da arte contemporânea local, nacional e internacional.

Rua Dragão do Mar, 81- Praia de Iracema
Fone: (85) 3488-8600
Cep: 60060-390 Fortaleza – Ce.
dragao@dragaodomar.org.br

Funcionamento:
Diariamente a partir das 14 h


Museu de Fortaleza

Antigo Farol do Mucuripe
Tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional o antigo farol está localizado na Esplanada do Mucuripe próximo ao Cais do Porto.
O prédio foi restaurado nos anos 80.
Atualmente é um museu com peças referenciais sobre a Fortaleza antiga.
Aos sábados excursões saem em direção a Praia Mansa, que fica nas proximidades e que além de abrigar um Parque Eólico para geração de energia elétrica, proporciona uma das mais belas vista de Fortaleza. Confirme antes de ir.

Rua Vicente de Castro s/n – Esplanada do Mucuripe
Fone: (85) 3263-1115
Fortaleza


Museu de Paleontologia da Universidade do Crato

Acervo de peças de paleontologia, zoologia e geologia.

Rua Coronel Antonio Luiz, 1161 – Fone: (88) 3523-1677
Crato – Ce.


Museu do Automóvel

Um dos mais completos museus sobre veículos antigos.
Com cerca de 55 modelos de carros antigos, é mantido por uma associação de colecionadores, e é o único do seu tipo no Nordeste.

Rua Des. Manoel Sales de Andrade, 70 – Água Fria
Próximo ao Centro de Convenções – Fone: (85) 3273-3129
Cep: 60811-420 – Fortaleza

Funcionamento
Segunda a Sábado: 09:00 às 12:00 h e das 14:00 às 17:00 h
Domingos: 09:00 às 13:00 h


Museu do Crato

Acervo de peças históricas da região do Cariri. Significativa coleção de pintura de artistas nacionais e cearenses, com destaque para a coleção de obras da artista Sinhá D’Amora.

Rua Senador Pompeu, 502 – Centro – Fone: (88) 3523-2055 R-30
Cep: 63100-000
Crato – Ce.

Funcionamento:
Segunda a Sexta: 09:00 às 11:30 h e das 14:00 às 17:00 h


Museu do Instituto Jaguaribano

O Museu do Instituto Jaguaribano está localizado na cidade de Aracati a 130 Km de Fortaleza.
Um acervo de peças da história do Ceará, mobiliário de época e uma coleção de imagens sacras oriundas de igrejas e capelas da região jaguaribana.

Rua Cel. Alexanzito, sn – Centro
Cep: 62800-000
Aracatí – Ce.

Funcionamento:
Terça a Domingo: 08:00 às 12:00 h e das 14:00 às 18:00 h


Museu Professor Benito Tavares

Homenageia o fundador da Academia Cearense de Odontologia.

Rua Almirante Barroso, 970 – Fone: (85) 3219-3374
Cep: 60060-440
Fortaleza


Museu Sacro D. José Tupinambá da Frota

No Município de Sobral, reúne uma importante coleção de vidros, porcelanas e louças do século XIX e arte sacra dos séculos XVIII e XIX.

Av. Dom José Tupinambá, 787
Fone: (88) 3611-3525
Cep: 62040-710
Sobral – Ce.

Funcionamento:
Segunda a Sexta: 09:00 às 11:30 h e das 15:00 às 17:30 h


Museu Sacro São José do Ribamar

No Município de Aquiraz, na região metropolitana de Fortaleza. Acervo de obras sacras.
Obras do Mestre Bibi destacando-se uma via sacra, a imagem de Santana, em madeira policromada, e a via sacra realizada.

Praça Cônego Araripe, 12
Cep: 61700-000
Aquiraz – Ce.


Museu de Cariré

Localizado no Município de Cariré na zona norte do Estado.
Acervo com mais de 10.000 peças – fotos, ferramentas, máquinas e um fóssil com mais de 100 milhões de anos, encontrado na região.


Memorial da Propaganda

Funciona no Mercado Central de Fortaleza. Instalado no sub-solo.

Avenida Alberto Nepomuceno, 199 – Centro
Fortaleza – Ce.

Funcionamento
Segunda à Sexta das 08:00 h às 18:00 h.
Sábados e Domingos das 08:00 h às 17:00 h

Eduardo Pamplona

José Eduardo Ribeiro Pamplona

Odontólogo, professor, artista plástico, pintor, escultor e músico.
Nasceu em Fortaleza, Ceará, em 1944.
Graduou-se em Odontologia em 1944, tendo exercido de forma atuante a profissão. Neste mesmo ano de 44, integrou-se a SCAP, Sociedade Cearense de Artes Plásticas, da qual participou até 1960.
Realizou sua primeira grande apresentação em pintura e escultura no 3o Salão de Abril, em 1947.
Recebeu “Menção Honrosa” em pintura, no 5o Salão de Abril, em 1949.

Foi professor e um dos fundadores da Escola de Belas Artes do Ceará.
Em 1954 foi laureado no 5o Salão do Instituto de Belas Artes do Rio Grande do Sul, e premiado pelo Salão Nacional de Belas Artes; ano em que recebeu “Medalha de Ouro” no 10o Salão de Abril.

No ano seguinte, participou do Curso de Cerâmica no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, “Escola 11” do Rio de Janeiro e do Curso de Artes Plásticas Aplicadas pelo SENAI / RJ; criando em seguida uma técnica inovadora de trabalho em cerâmica esmaltada.

Desenvolveu diversas obras com pastilhas esmaltadas, sendo considerada sua obra primeira, a “Escrava”, monumento em homenagem ao centenário de libertação dos escravos, instalada na cidade de Redenção, que data de 1968.

Fez painéis em pastilhas cerâmicas vitrificadas, sendo os mais conhecidos:
– o retrato do ex-governador Adauto Bezerra, em Guaramiranga;
– a belíssima escrava, rompendo os grilhões, na entrada da Cidade de ;
– os dois altares laterais da Igreja do Cristo Rei
– a fachada da Igreja do Coração de Jesus em Fortaleza.

Faleceu em Fortaleza, Ce, em 1991.


Pesquisa e Texto:
Roberto Galvão – Artista Plástico e Pesquisador

Para saber mais sobre artes  veja 
Para saber mais sobre as datas veja
Para saber mais sobre os locais veja
Veja mais em Cultura  Museus | Galerias