História

Desde o período pré-colombiano registram-se atividades de artesanato entre os índios que habitavam o Ceará.

Os objetos de cerâmica e palha tinham uso exclusivamente utilitário.
A partir da colonização, e sob influência dos jesuítas, esta habilidade foi aprimorada com o uso de novas técnicas e materiais.

Toda esta habilidade e conhecimento passaram a ser direcionado também para a confecção de adornos, vestimentas, adereços, mobiliário e objetos diversos.

As mulheres portuguesas, que aqui chegaram acompanhando os colonizadores, deixaram como herança às técnicas das rendas, dos bilros e do labirinto, que tinha sido levadas para Portugal a partir do domínio mouro na península Ibérica.

Os escravos trouxeram da África outro conhecimento em tecelagem, entalhe em madeira, trançado em palha e cipó que se mesclaram com os nativos do Brasil.

Através dos tempos o artesanato dividiu-se em utilitários e decorativo.
Na primeira categoria estão o mobiliário, vestimentas de couro para os vaqueiros, cerâmica, bordados, etc.
Na segunda categoria a habilidade do povo voltou-se para a confecção principalmente de peças religiosas e mitológicas da crendice popular e também peças puramente artísticas.

Hoje esta atividade emprega perto de 1.000.000 de pessoas.
O Governo do Estado tem desenvolvido uma política consistente para aprimorar a qualidade dos produtos artesanais, qualificando os artesãos e incentivando as exportações.

Pesquisa e Texto: Cláudia Queiroz

Aracati

COSTA DO SOL NASCENTE

ARACATI
Distância aproximada de Fortaleza: 152 km
População: 56.978 habitantes
Acesso através da CE-040 | BR-116 | BR-304
Ônibus intermunicipais a partir de Fortaleza
ligue 186 ou (85) 3256.2100
Praias da região:
Majorlândia, Canoa Quebrada, Cumbe,
Quixaba, Lagoa do Mato e Retiro.

Tombada pelo Patrimônio Histórico está situada na margem direita do Rio Jaguaribe e próximo a sua foz. Casarios coloniais revestidos com azulejos portugueses e Igrejas Barrocas formam um belo conjunto arquitetônico. Merecem destaques a Casa de Câmara e Cadeia,
a Igreja de N.S. do Rosário e o Instituto Museu Jaguaribano.

O carnaval descontraído de Aracati atrai milhares de turistas do Brasil e do Exterior. Em seu litoral está a internacionalmente conhecida Praia de Canoa Quebrada.

HOSPEDAGEM NA REGIÃO

Brisa Rio Hotel
Cidade de Aracati
Fone: (88) 3421-1881 | 3421-3180

Pousada Litorânea
Cidade de Aracati
Fone: (88) 3421-1001

Pousada Nosso Sonho
Cidade de Aracati
Fone: (88) 3421-1234

Pousada Bons Ventos
Cidade de Aracati
Fone: (88) 3421-4510

Falésia Praia Hotel
Canoa Quebrada
Fone: (88) 3421-7043

Pousada Fortaleza
Canoa Quebrada
Fone: (88) 3421-7019

Pousada Tropicália
Canoa Quebrada
Fone: (88) 3421-7017

ALIMENTAÇÃO

Restaurante O Iran
Cidade de Aracati
Fone: (88) 3421-1208

Ponto do Churrasco
Cidade de Aracati
Fone: (88) 3421-4116

Restaurante Nova Esperança
Cidade de Aracati
Fone: (88) 3421-4394

EMERGÊNCIA HOSPITALAR

Hospital Santa Luiza de Marillac
Fone: (88) 3421-1007 / 3421-1684

Hospital Municipal de Aracati
Fone: (88) 3421-3005


Pesquisa e Textos: Claudia Queirós

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACATÍ
Santos Dumont, 1146
Fone: (88)  3421-1006 / 3421-1143

Secretaria do Turismo e Meio Ambiente de Aracatí
Fone: (88)  3421-1006

SETUR – Órgão Oficial de Turismo do Governo do Estado
Secretaria Estadual de Turismo-SETUR
setur-ce@turismo.setur-ce.gov.br
Fone:  (85)  3488-3900 – Fax:  (85)  3488-3853
Centro Administrativo Virgílio Távora
Edifício SEPLAN – Térreo – Cep 60.839-900
Fortaleza – Ceará – Brasil

Barbalha

SERTÃO

BARBALHA
População: 43.296 habitantes
Distância aproximada de Fortaleza: 539 km
Acesso: BR-116 | BR-122 | CE-386 | CE-292
Ônibus intermunicipais a partir de Fortaleza
ligue 186 ou  (85) 3256-2100

Única estância hidromineral do Ceará, o Balneário de Caldas, em Barbalha, possui hotel e piscinas.
A cidade oferece muitas outras atrações.
Para os que gostam de aventuras a Caverna do Farias, a 9 km da sede do município, é um intricado labirinto com 500 metros de profundidade.
Nas proximidades aproveite o banho nas inúmeras cachoeiras e bicas da serra.

Cidade religiosa, Barbalha tem na Festa de Santo Antonio no dia 13 de Junho o seu maior momento com a Festa do Pau da Bandeira.
Esta festa começa quando um tronco de árvore de grandes dimensões é trazido da floresta e fincado no centro da praça principal, numa cerimônia de fé ao mesmo tempo exótica e mística.
A Casa de Câmara e Cadeia e diversos outros casarões atestam o passado histórico da cidade.

N
a região a Chapada do Araripe, encravada  no sul do estado, é um convite a aventura e ao eco turismo.
Área de Proteção Ambiental, a Floresta Nacional do Araripe é uma importante área do que restou da Mata Atlântica e oferece um clima ameno, além de inúmeras fontes e cachoeiras.
É considerado um dos mais importantes Sítios Paleontológicos do mundo, atraindo estudiosos de todas as partes do mundo, interessados em História Natural.

Visite na região, em Santana do Cariri, o Museu de Paleontologia com mpressionante
coleção de fósseis de animais e plantas.
Santana do Cariri é rica em artesanato de rendas, bordados e crochê.

HOSPEDAGEM
Hotel Cariri
Fone: (88) 3532-0031
Hotel Bom Jesus
Fone: (88) 3532-9133
Hotel das Fontes
Fone: (88) 3532-9066

ALIMENTAÇÃO
Lanchonete Gostosura do Paladar
Fone: (88) 3532-0826
Pizzaria San Pietro
Fone: (88) 3532-1092
Churrascaria Beira Brejo
Fone: (88) 3532-0228
Restaurante Padre Cícero
Fone: (88) 3532-0230

EMERGÊNCIA HOSPITALAR
Hospital e Maternidade São Vicente de Paula
Fone: (88) 3532-1020 | 3532-1024
Hospital e Maternidade Santo Antonio
Fone: (88) 3532-1122 | 3532-1126

Pesquisa e Textos: Cláudia Queiroz


PREFEITURA MUNICIPAL DE BARBALHA
Rua Princesa Izabel, 187 – Centro
Fone: (88)  3532-1188 | 3532-0614

SETUR – Órgão Oficial de Turismo do Governo do Estado
Secretaria Estadual de Turismo-SETUR
setur-ce@turismo.setur-ce.gov.br
Fone: (85) 3488-3900 – Fax: (85) 3488-3853
Centro Administrativo Virgílio Távora
Edifício SEPLAN – Térreo – Cep 60839-900
Fortaleza – Ceará – Brasil

Senador Alencar

José Martiniano Peixoto de Alencar

Nasceu em Barbalha, Ce, em 1794.
Filho do comerciante português João Gonçalves dos Santos e Bárbara Pereira de Alencar.
Estudou no Seminário de Olinda, Pe., vindo ao Ceará em 1817 como porta voz da Revolução Pernambucana, e levando a revolução até o Crato, Cariri, Ce.
Preso juntamente com sua mãe, e o irmão , foi enviado para Fortaleza ficando preso na , local de prisão, este, que gera controvérsias entre os historiadores.

Em 1818 foi enviado para a prisão do Forte de Cinco Pontas em Pernambuco e de lá para o Presídio em Salvador, Ba.
Em 1821 com a Revolução Constitucional em Portugal, foi anistiado juntamente com o resto da família e outros presos políticos.
De volta ao Ceará foi eleito deputado suplente em 24 de dezembro.
Em 1822 seguiu para Lisboa onde fez parte do Parlamento.
Já no Ceará, em 1823, foi eleito deputado constituinte e após a dissolução da Assembléia Constituinte retorna ao Ceará, sendo escolhido deputado.
Novamente preso e conduzido ao Rio de Janeiro, foi julgado e absolvido.

Na 2ª Legislatura do Império, foi eleito deputado pelo Ceará e também por Minas Gerais, optando por representar o Ceará.
Eleito Senador em 1832, o 1° escolhido pela Regência.
Entre 1834 a 1837 foi Presidente do Estado do Ceará.
Posicionou-se, em 1839, contra a proposta de maioridade de D. Pedro II.
Em 1840 ocupou novamente a Presidência da Província do Ceará, saindo após a queda do Ministro da Maioridade, do qual era delegado.

Em março de 1841, quando passou o cargo ao Major Facundo, então Vice-Presidente da Província.
Por volta de 1826 carregou sua prima Anna Josefina de Alencar, do Cariri para vir com ele morar em Messejana, próximo a Fortaleza, fixando-se no sítio Alagadiço Novo onde nasceu seu 1° filho, José de Alencar, que viria a ser o grande romancista.
No sítio foi instalado o 1° engenho a vapor do Ceará produzindo aguardente e rapadura.

Após o término do mandato de Presidente da Província, em 1837, seguiu com a família para o Rio de Janeiro onde foi exercer o mandato de Senador.

Faleceu no Rio de Janeiro em 15 de março de 1860, e foi sepultado no Cemitério São Francisco Xavier.

*O sobrenome “Peixoto” apareceu na época da revolução de 1817 e aqui foi utilizado para distinguir do de José de Alencar, escritor.


Pesquisa e Texto: Madalena Figueiredo

Para saber mais sobre as datas veja
Para saber mais sobre os locais veja

Bárbara de Alencar

Bárbara Pereira de Alencar

Bárbara Pereira de Alencar.
Nasceu na cidade pernambucana de Exu, no dia 28 de agosto de 1760, vindo depois residir no Crato, Ce, onde se casou com o comerciante português João Gonçalves dos Santos, 28 anos mais velho.
Desse consórcio teve 10 filhos, entre eles:
– José Martiniano de Alencar, padre, senador do império, presidente do Ceará, pai do romancista José de Alencar.
, mártir da Confederação do Equador (1924).

Tomou parte ativa na revolução republicana de 1817, levada a efeito no Crato.
Heroína Nacional, 1ª mulher a ser presa política no Brasil e a 1ª Republicana, em 1817.
Frustrada a Revolução Pernambucana e o levante do Crato, foi aprisionada e trazida para Fortaleza juntamente com os filhos: Tristão Gonçalves, José Martiniano e Padre Carlos José.

Em 1818 foram mandados para a prisão da Fortaleza das 5 pontas em Pernambuco e de lá para o presídio da Relação em Salvador, Ba.
Em 1821 é anistiada retornando ao Ceará.

É nome de rua e Instituição de ensino em Fortaleza.
Na Avenida Heráclito Graça, em Fortaleza, na altura do número 1245, existe uma escultura de Bárbara de Alencar de autoria do Escultor Cearense .

Faleceu em 1832, aos 67 anos, na fazenda Touro, na Fronteira do Ceará com o Piauí.
Foi sepultada na Capela do Poço das Pedras, Freguesia de Araripe.


Pesquisa e Texto: Madalena Figueiredo

Para saber mais sobre as datas veja
Para saber mais sobre os locais veja