Aldemir Martins

Pintor, desenhista,gravador, ilustrador e escultor. Nasceu em Ingazeiras, Município de Aurora, Ce, em 1922. Foi um dos introdutores da arte moderna no Ceará, na década de quarenta.
No ano de 1942 fundou o Grupo Artys e a SCAP, Sociedade Cearense de Artes Plásticas, com Mário Baratta, Antônio Bandeira e outros.
Neste mesmo ano também expôs pela primeira vez, no II Salão de Pintura do Ceará. Trabalhou como ilustrador para os jornais “O Unitário”, “Correio do Ceará” e “O Estado”, e também ilustrou livros de intelectuais cearenses.
Em 1946 em São Paulo realizou sua primeira individual no Instituto dos Arquitetos do Brasil.
No ano de 1947 estabeleceu-se em São Paulo, a fim de participar de várias Bienais Internacionais.
Um ano mais tarde, participou da coletiva “19 Pintores”, sob a promoção da União Cultural Brasil – Estados Unidos, onde recebeu o 3º prêmio, sua primeira premiação. Somente cinco anos depois de desembarcar em São Paulo, ganhou o seu primeiro prêmio de grande projeção: o  “Prêmio Olívia Guedes Penteado”, o único prêmio na categoria desenho, concedido na I Bienal Internacional de São Paulo, em 1951, com o desenho “O Cangaceiro”.
No ano de 1955, obteve o prêmio de Melhor Desenhista Nacional.
Em 1959, obteve o prêmio de Viagem ao Estrangeiro do Salão Nacional de Arte Moderna, no Rio de Janeiro.
Em 1956, recebe o 1º prêmio em Desenho na Bienal Internacional de Veneza, sendo até hoje, o único artista latino americano a ser premiado nesta bienal.
Em 1972, recebe o 1º Prêmio da Bienal dos Esportes, em Barcelona.
Em 1956, conquistou a láurea mais importante de sua carreira, a grande consagração internacional: o prêmio “Presidente Dei Consigli dei Ministeri”, atribuído ao melhor desenhista internacional, na XXVIII Bienal de Veneza, Itália
Realizou mais de 300 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no Exterior.
Recebeu dezenas de outros prêmios, além de Títulos de cidadania, Títulos de Doutor Honoris Causa, Comendas e Honrarias, tanto no Brasil como no exterior.
No ano de 1982 lhe foi outorgado o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal do Ceará.
São inúmeros exposições e prêmios conquistados por este artista que já atuou como cartógrafo, desenhista, pintor, ilustrador, monitor, professor de desenho, projetista gráfico, cenógrafo, escultor, ourives e ceramista.
Um grande painel de sua autoria, em Vidrotil – 28m de comprimento – ocupa uma das paredes externas do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura em Fortaleza, na Praia de Iracema.
Uma escutura de grandes dimensões, chamada de A Morena do Pajeú, pode ser vista no Parque das Esculturas, em Fortaleza.
Este parque, iniciativa da Câmara de Dirigentes Lojistas, possui esculturas dos principais artistas contemporâneos cearenses.
Está situado no centro da cidade, anexo a sede da CDL, entre a Rua 25 de Março e Av. Dom Manuel, com acesso público e gratuito.
Aldemir Martins continua produzindo intensamente apartir de seu ateliê em São Paulo.
Suas obras estão presentes em coleções particulares e nos acervos dos principais museus do Brasil e do Exterior.


Pesquisa e Texto:
Roberto Galvão – Artista Plástico e Pesquisador

Para saber mais sobre artes  veja 
Para saber mais sobre as datas veja
Para saber mais sobre os locais veja
Veja mais em Cultura  |

Eduardo Pamplona

José Eduardo Ribeiro Pamplona

Odontólogo, professor, artista plástico, pintor, escultor e músico.
Nasceu em Fortaleza, Ceará, em 1944.
Graduou-se em Odontologia em 1944, tendo exercido de forma atuante a profissão. Neste mesmo ano de 44, integrou-se a SCAP, Sociedade Cearense de Artes Plásticas, da qual participou até 1960.
Realizou sua primeira grande apresentação em pintura e escultura no 3o Salão de Abril, em 1947.
Recebeu “Menção Honrosa” em pintura, no 5o Salão de Abril, em 1949.

Foi professor e um dos fundadores da Escola de Belas Artes do Ceará.
Em 1954 foi laureado no 5o Salão do Instituto de Belas Artes do Rio Grande do Sul, e premiado pelo Salão Nacional de Belas Artes; ano em que recebeu “Medalha de Ouro” no 10o Salão de Abril.

No ano seguinte, participou do Curso de Cerâmica no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, “Escola 11” do Rio de Janeiro e do Curso de Artes Plásticas Aplicadas pelo SENAI / RJ; criando em seguida uma técnica inovadora de trabalho em cerâmica esmaltada.

Desenvolveu diversas obras com pastilhas esmaltadas, sendo considerada sua obra primeira, a “Escrava”, monumento em homenagem ao centenário de libertação dos escravos, instalada na cidade de Redenção, que data de 1968.

Fez painéis em pastilhas cerâmicas vitrificadas, sendo os mais conhecidos:
– o retrato do ex-governador Adauto Bezerra, em Guaramiranga;
– a belíssima escrava, rompendo os grilhões, na entrada da Cidade de ;
– os dois altares laterais da Igreja do Cristo Rei
– a fachada da Igreja do Coração de Jesus em Fortaleza.

Faleceu em Fortaleza, Ce, em 1991.


Pesquisa e Texto:
Roberto Galvão – Artista Plástico e Pesquisador

Para saber mais sobre artes  veja 
Para saber mais sobre as datas veja
Para saber mais sobre os locais veja
Veja mais em Cultura  Museus | Galerias

Redenção

MACIÇO DE BATURITÉ

REDENÇÃO
População: 21.972 habitantes (dados de 2000).
Distância aproximada de Fortaleza: 66 km
Acesso através da CE-060 | CE-065
Ônibus Interurbano: Empresa Redentora
Ônibus intermunicipais a partir de Fortaleza
ligue 186 ou  (85) 3256-2100

A cidade de Redenção foi fundada em 1889 e foi a primeira cidade do Brasil a abolir a escravidão.
Na entrada da cidade um belo Painel Artístico, todo executado em Pastilhas Cerâmicas Esmaltadas, de autoria do artista plástico cearense Eduardo Pamplona, é uma celebração à liberdade.

São atrações também:
Museu Memorial da Liberdade
Praça da Liberdade
Açude Acarape do Meio
Cachoeiras Paracupeba e Manoel Dias
Engenho e Senzala no Sítio Livramento
Horto Florestal Antônio Diogo.

HOSPEDAGEM
Hotel Charme
Fone: (85) 3332-1183

ALIMENTAÇÃO
Restaurante Parada Obrigatória
Fone: (85) 3332-1272

EMERGÊNCIA HOSPITALAR
Centro de Saúde de Redenção
Rua Santos Dumont, 586
Fone: (85) 3332-2223
Ass. de Proteção a Saúde, Maternidade, Infância de Redenção
Praça Ten. Eilson, 48
Fone: (85) 3332-2228 | 3332-2292

Pesquisa e Textos: Cláudia Queiroz


PREFEITURA MUNICIPAL DE REDENÇÃO
Av. Abolição, s/n  Centro
Fone: (85) 3332-2252
Secretaria de Ação Social de Redenção
Fone: (85) 3332-1236

SETUR – Órgão Oficial de Turismo do Governo do Estado
Secretaria Estadual de Turismo-SETUR
setur-ce@turismo.setur-ce.gov.br
Fone: (85) 3488-3900 – Fax: (85) 3488-3853
Centro Administrativo Virgílio Távora
Edifício SEPLAN – Térreo – Cep 60839-900
Fortaleza – Ceará – Brasil

Otacílio de Azevedo

Otacílio de Azevêdo

Nasceu em Redenção, Ce, em 1896.
Escritor, poeta, desenhista e pintor. Autodidata.
Em 1910, transferiu-se para Fortaleza.
Começou pintando tabuletas de cinema e letreiros de lojas.
Em 1925, inicíou-se na pintura de paisagens.

Fundou com Gerson Faria, Pretextato Bezerra e Clovis Costa, o primeiro atelier de pintura de Fortaleza, em 1934.
É citado por Carlos Rubens em Artes Plásticas no Brasil e por Theodoro Braga em Artistas Pintores no Brasil.
É autor do livro Fortaleza Descalça, onde delineia traços biográficos dos artistas do Ceará da sua época.

Faleceu em Fortaleza, Ce, em 1978.


Pesquisa e Texto:
Roberto Galvão – Artista Plástico e Pesquisador

Para saber mais sobre artes veja Cultura/Artes Plásticas
Para saber mais sobre as datas veja
Para saber mais sobre os locais veja
Veja mais em Cultura Museus | Galerias

João Jacques

João Jacques Ferreira Lopes

Jornalista, escritor, desenhista e pintor.
Nasceu em Fortaleza, Ce, em 1910.
Freqüentou os atelieres de Gerson Faria, Clovis Costa, Otacílio de Azevedo e TX, aprendendo com eles os passos iniciais da pintura.

Membro da , dentre outros livros publicou:
Otacílio de Azevedo – 50 Anos de Pintura e Poesia, em 1992.

Faleceu em Fortaleza, Ce, em 5 de Dezembro de 1999.


Pesquisa e Texto:
Roberto Galvão – Artista Plástico e Pesquisador

Para saber mais sobre artes veja Cultura/Artes Plásticas
Para saber mais sobre as datas veja
Para saber mais sobre os locais veja
Veja mais em Cultura Museus | Galerias