História e Equipamentos (Continuação – 1)

DRAGÃO DO MAR – O JANGADEIRO DA LIBERADE

Em 1884 o Ceará tornou-se a primeira província brasileira a abolir a escravidão.

O Movimento Abolicionista Cearense, surgido em 1879, contribui – embora não decisivamente – para esta abolição pioneira.As ações repercutem no país e os abolicionistas, gente de elite, brava e culta, são ovacionados pela imprensa abolicionista nacional.

Entre eles há, porém, uma pessoa humilde, de cor parda, trabalhador do mar:

Chico da Matilde.Chefe dos jangadeiros, ele e seus colegas se engajam à luta já em 1881, recusando-se a transportar para os navios negreiros os escravos vendidos para o sul do país.Assim, Chico da Matilde é levado para a corte em sua jangada, desfila pelas uas, recebe chuvas de flores da multidão e ganha novo nome, mais pomposo e mítico: Dragão do Mar. De lá, escreve para a esposa: “seu velho está tonto com tanta festa e cumprimentos de tanta gente importante”.Símbolo de resistência popular cearense contra a escravidão, Dragão do Mar agora designa merecidamente, este Centro de Arte e Cultura.

Pelo que ele e seus colegas ousaram fazer em nome da liberdade, aqui bem perto, em 1881, nas areias da Praia de Iracema.

MEMORIAL DA CULTURA CEARENSE

Uma área de 800 m², com dois salões para exposições de longa duração, atualmente sediando as exposições: “Admiráveis Belezas do Ceará” e “Vaqueiros”.Outros dois salões para exposições temporárias de curta duração.Complementa o complexo Memorial da Cultura Cearense um mini auditório para pequenos concertos de música popular e erudita.

Este auditório é equipado com telão e projetor de vídeo.O Memorial da Cultura Cearense tem sua climatização, iluminação e equipamentos de segurança dentro dos padrões técnicos exigidos pela nova museologia.

Foto do Museu de Arte Contemporânea do Ceará

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO CEARÁ

Com dois pavimentos e 700m² de área, o MACC dispõe de sofisticado sistema de climatização, controle de umidade e equipamentos de segurança dentro dos padrões internacionais exigidos pela nova museologia. No salão no 01 localizado no primeiro pavimento está instalada a exposição de longa duração, com obras do acervo do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura de dois dos mais representativos artistas cearenses: Antônio Bandeira e Raimundo Cela. As demais áreas são destinadas a exposições temporárias de curta duração nacionais ou internacionais, colocando o estado no circuito internacional das grandes exposições.

Seus 07 salões são equipados com:

Sistema de iluminação – projetado pelo renomado designer Peter Gasper,elaborado com utilização dos mais atualizados equipamentos e padrões técnicos e instalado segundo normas luminotécnicas específicas a este tipo de programa.

Climatização – 13 máquinas Split de 7,5 TR sendo 10 com controle de umidade regulada na faixa de 45% a 60% de UR (Unidade relativa do ar) e mais uma máquina Split de 5 TR sem controle de umidade.

Todos os salões são equipados com termostato para controle de temperatura e umidade relativa do ar.

Reserva Técnica – com 350m² dotada de área para desembalagem e embalagem de obras, área para guarda de obras em trânsito, laboratório para manutenção do acervo e área para guarda do acervo.

Tudo com rigoroso sistema de controle e segurança. Equipada ainda com 04 máquinas SELF de 7,5 TR com controle de umidade para a faixa de 45% a 60% UR (umidade relativa do ar).

<< ANTERIOR | PRÓXIMA >>