Sergei de Castro

Desenhista, pintor, gravador e designer.

Nasceu em Itapiúna, Ce. em 1967.
Participou de coletivas em diversas cidades brasileiras e no exterior.
Como designer, possui trabalhos em diversas cidades do Brasil, em Nova York e Miami.

Em 1970, obtém o prêmio de desenho no XX Salão de Abril, Fortaleza, Ce.
Individualmente, expôs em Fortaleza e Rio de Janeiro.

Pesquisa e Texto:
Roberto Galvão – Artista Plástico e Pesquisador

2 Respostas para “Sergei de Castro”

  1. nazareno disse:

    Sergei é um prodígio !ganhou prêmio no Salão de Abril com apenas três anos ? tem alguma coisa nessas datas…

  2. Francisco Magalhães disse:

    Ontem varei a noite pelo entusiasmo de vê-lo em atividade, todavia, vejo um desdém das autoridades quando se trata de Cultura. Os conterrâneos ilustres das Artes Plásticas de gerações passadas são esquecidos. Não existe um órgão que preserve a memória do nossos irmãos imortais. Sergei de Castro, Chico da Silva, Antônio Bandeira, Raimundo Cela e tantos outros. A Secretaria de Cultura Estado deve inserir na grade curricular dos ensino fundamental e médio. Permita-me informar lapso na data de nascimento do artista, pois ele ´pertence a geração 40. Ao ensejo, gostaria de saber do S.C, se possível, sobre seus irmãos meus conhecidos, bem como da senhora sua genitora. Por fim, pediria contemplar texto que mencionei no meu face:Uma excelente matéria sobre esse talento genuíno cearense. Sergei de Castro sempre me fascinou pelo estilo vanguardista na década de 70. Neste tempo sombrio da liberdade de expressão, tive o privilégio de conhecer alguns de seus trabalhos, salvo engano, porque frequentei algumas vezes sua residência, pois era colega secundarista de seus três irmãos, sendo duas moças e um jovem rapaz, por sinal o caçula. Este era conhecido no Colégio Brasil pelo dom artístico e já despontava com um futuro brilhante, predominam fase das “corujas”, diziam os professores e o diretor Prof. Ervedosa. Quanto as suas irmãs não me recordo bem, mas eram atraentes e detentoras de um carisma singular. As minhas visitas a convite aconteciam quando não havia a última aula. Ademais, todos os irmãos me viam com talento e me instigava na persistência da arte. Meus rabiscos mesclavam mulheres eróticas e animais dos “mares tenebrosos” salpicados de matizes. Coincidência, talvez, do primitivismo de Chico da Silva que conheci pessoalmente na Distribuidora Edésio, do Drs.Thársio e Vladi A.Pompeu. Por fim, gostaria de dizer do meu orgulho de ser cearense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *